LITERATURA

Módulo 7 - Barroco

FATO – 1601 – Publicação de Prosopopeia, de Bento Teixeira.

OBJETIVO – Gozar os prazeres terrenos e conquistar o Céu.

PRINCÍPIO – Não é possível cumprir os mandamentos de Deus.

ORIGEM DO CULTISMO – O medo da morte e do Inferno promovido pela Igreja Católica.

ORIGEM DO CONCEPTISMO – A expansão do cristianismo (catequização, evangelização).

ANTÍTESE é a figura de linguagem mais frequente na literatura barroca.

A PASSAGEM do Renascimento para o Barroco é marcada fundamentalmente pela tentativa da Igreja Católica de interromper o antropocentrismo renascentista.

PINTURA – Quadros com pontos extremamente escuros em oposição a pontos extremamente claros. Pinturas antitéticas combinam visões celestiais com cenas demoníacas. Os personagens religiosos parecem mais austeros, severos, intransigentes.

Características do Barroco

a) metafísica

b) dualismo

c) fusionismo

d) uso constante de interrogações

e) pessimismo e o sentido trágico da existência

f) feísmo

g) religiosidade

h) atitude lúdica

i) nativismo

j) cultismo

k) conceptismo

CULTISMO

Temática pagã

Tendência renascentista

Prioriza a forma (como escrever)

Jogo de palavras

Artístico

Em busca do belo

Poético

Antropocêntrico

Gregório de Matos Guerra

CONCEPTISMO

Temática religiosa

Tendência medieval

Prioriza o conteúdo (o que escrever)

Jogo de ideias

Filosófico

Em busca da lógica

Dissertativo

Teocêntrico

Padre Antônio Vieira

Módulo 5 - Camões lírico

Características da poesia lírica renascentista:

  1. Forma fixa;
  2. Versos decassílabos;
  3. Seleção vocabular;
  4. Hipérbatos frequentes;
  5. Contenção emocional;
  6. Desenvolvimento lógico.

     No Classicismo, vê-se um decrescente pessimismo diante da condição humana, marcado pelo teocentrismo medieval, mas também um crescente otimismo pelo que o homem é capaz de fazer.

     A beleza feminina, iluminada por uma luz sobrenatural que lhe transfigura as feições carnais, converte-se numa imitação da beleza plena, pura, que a eleva ao plano das ideias e à divindade.

     A mulher é vista como uma criatura divina, um ser angelical que sublima e apura a alma do amante.

Século V - Negação dos sentimentos.

Século XII - Renascimento dos sentimentos nas cantigas líricas.

Século XIII - Renascimento do racionalismo nas cantigas satíricas.

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E enfim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

Ao desconcerto do mundo

Os bons vi sempre passar
No mundo graves tormentos;
E para mais me espantar,
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
O bem tão mal ordenado,
Fui mau, mas fui castigado:
Assim que só para mim
Anda o mundo concertado.

Gabaritos de LITERATURA

Módulo 1 - Exercícios de aplicação - gabarito - 1C - 2C - 3C.

Módulo 2 - Exercícios de aplicação - gabarito - 1 - O autor utilizou a palavra "amigada" no sentido de "amasiada", "amaridada", que vivia junto sem casar. O "amigo" das cantigas medievais era o nome dado ao namorado ou amante. 2 - Amigo. Trovadorismo. 3 - A primeira época lírica portuguesa é o Trovadorismo. Nessa época se cultivavam as cantigas líricas e satíricas.

Módulo 3 - Exercícios de aplicação - gabarito - 1 - Inês reclama dos serviços domésticos que a prendem na casa da mãe, desejando viver e folgar como outras moças. 2 - Inês optaria por casar-se. Por meio do casamento, ela pensa encontrar a liberdade. 3 - Inês seria aprisionada pelo primeiro marido, Brás da Mata, quando ele partisse para a guerra. Assim, ficaria sem a liberdade que pensava obter com o casamento. Depois de viúva, casaria novamente, valendo-se da experiência para garantir a vida livre que sempre desejou.

Módulo 4 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1-A; 2-B; 3-D.

Módulo 5 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1-D; 2-E (os trechos II e III são de poetas romântico e modernista, respectivamente); 3. a) A antítese centra-se na relação entre os "bons" e os "maus". Os desdobramentos da antítese são a punição e a recompensa: aqueles que merecem recompensa são punidos; aqueles que merecem punição são premiados. É por isso que, segundo o eu lírico, o mundo está "desconcertado", sem harmonia. 3. b) O esquema de rimas é ABAAB; CDDCD. Em relação ao valor, há rimas pobres (mesma classe gramatical) e ricas (classes gramaticais diferentes).

Módulo 6 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1-B; 2-E; 3 - O texto original revela um olhar encantado com as terras descobertas, repleto de sentimento nativista, enquanto o segundo, um olhar irônico.

Módulo 7 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1-D; 2-E; 3-A.