Redação

6

Coesão

            Os fragmentos são respostas de perguntas que não estão no texto, por isso é preciso formular e sequenciar as perguntas adequadas para encontrar o texto coeso.

            Num texto coeso não falta nem sobra palavras.

A incoesão pode ocorrer:

a. pelo uso inadequado de um tempo verbal, regência ou concordância;

b. no emprego de pronomes pessoais, relativos, demonstrativos;

c. na troca indevida de uma palavra por outra;

d. no emprego da pontuação;

e. na escolha da conjunção que liga orações;

f. na opção pelo conectivo que encadeia parágrafos.

TEMA: A desigualdade econômica entre os países é um quadro definitivo ou é passivo de alteração substancial?

Sugestão para o PROJETO DE TEXTO:

1. Sobre a desigualdade econômica entre os países.

2. O que mantém essa situação?

3. Como poderia se modificar esse quadro?

4. A formação intelectual se dá apenas teoricamente ou também na prática?

5. O desenvolvimento intelectual tem sido acelerado pela internet e pela globalização?

TEMA: A profissão do médico.

Exemplo de ROTEIRO:

1. Por que está difícil fazer bons médicos?

2. O conteúdo de um curso de medicina é excessivo e acessível apenas a um número pequeno de estudantes?

3. Não há tempo para a formação humanística do futuro médico?

4. As escolas médicas têm falhado na escolha de seus alunos?

5. As faculdades de medicina elegem seus professores em função apenas de seus currículos?

6. O que fazer?

5

TEMA: O amor e a busca da felicidade: prós e contras.

Trechos do SERMÃO DO MANDATO do Padre Antônio Vieira

            Pinta-se o Amor sempre menino, porque ainda que passe dos sete anos, como o de Jacob, nunca chega à idade de uso de razão. Usar de razão, e amar, são duas coisas que não se juntam. A alma de um menino, que vem a ser? Uma vontade com afetos, e um entendimento sem uso. Tal é o amor vulgar. Tudo conquista o amor, quando conquista uma alma; porém o primeiro rendido é o entendimento. Ninguém teve a vontade febricitante, que não tivesse o entendimento frenético. O amor deixará de variar, se for firme, mas não deixará de tresvariar, se é amor. Nunca o fogo abrasou a vontade, que o fumo não cegasse o entendimento. Nunca houve enfermidade no coração, que não houvesse fraqueza no juízo. Por isso os mesmos Pintores do Amor lhe vendaram os olhos. E como o primeiro efeito, ou a última disposição do amor, é cegar o entendimento, daqui vem, que isto que vulgarmente se chama amor, tem mais partes de ignorância: e quantas partes tem de ignorância, tantas lhe faltam de amor. Quem ama, porque conhece, é amante; quem ama, porque ignora, é néscio. Assim como a ignorância na ofensa diminui o delito, assim no amor diminui o merecimento. Quem, ignorando, ofendeu, em rigor não é delinquente; quem, ignorando, amou, em rigor não é amante.

            Quatro ignorâncias podem concorrer em um amante que, diminuam muito a perfeição e merecimento de seu amor. Ou porque não se conhecesse a si; ou porque não conhecesse a quem amava; ou porque não conhecesse o amor; ou porque não conhecesse o fim onde haveria de parar, amando. Se não conhecesse a si, talvez empregaria o seu pensamento onde o não havia de pôr, se se conhecera. Se não conhecesse a quem amava, talvez quereria com grandes finezas, a quem haveria de aborrecer, se o não ignorara. Se não conhecesse o amor, talvez se empenharia cegamente no que não havia de empreender se o soubera. Se não conhecesse o fim em que haveria de parar, amando, talvez chegaria a padecer os danos a que não haveria de chegar se os previra. Todas estas ignorâncias que se acham nos homens, em Cristo foram ciências, e em todas e em cada uma crescem os quilates de seu extremado amor. Conhecia-se a si; conhecia a quem amava; conhecia o amor; e conhecia o fim onde havia de parar, amando.

"Para amar as coisas da terra é preciso conhecê-las; para conhecer as coisas do céu é preciso amá-las". (Blaise Pascal, filósofo francês)

AMAR - Claro Enigma - Carlos Drummond de Andrade.

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
e o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Sugestão para o ROTEIRO:

1º parágrafo: O amor sempre foi visto como fonte de felicidade, mas nunca foi escondido que também pode ser causa de infelicidade. Podemos citar os contos de fada e também Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco, ou ainda Romeu e Julieta, de Shakespeare.

2º parágrafo: O crescimento da diversidade demográfica tornou menos simples a tarefa de encontrar e manter um amor correspondido?

3º parágrafo: As relações virtuais tornaram ainda menos reais as concepções que temos um dos outros?

4º parágrafo: Ainda é sensato apostar numa felicidade tão arriscada?

5º parágrafo: O melhor é abandonar a aleatoriedade dos sentimentos e se dedicar a relacionamentos mais racionais?

TEMA: Os pais, os filhos e os professores.

Exemplo de ROTEIRO:

1. Quando os pais eram mais severos, os filhos eram mais obedientes. Quando os pais demonstram mais compreensão quanto às limitações físicas e intelectuais dos filhos, outros devem ser culpados pelos fracassos das crianças ou adolescentes?

2. Em vez de procurar culpados, devemos buscar meios de satisfazer as necessidades especiais de cada criança?

3. As frentes educacionais como escola para surdos e mudos, literatura para cegos, cuidadores com professores especializados em salas de aula aponta para uma escola diversificada capaz de atender às mais diversas dificuldades físicas ou intelectuais?

4. As escolas apresentam tanto ou mais limitações que os filhos menos integrados ou incluídos?

5. Os sistemas de ensino têm de se atualizar e parar de tratar todos os alunos como se fossem iguais e tivessem os mesmos interesses?

4

Planejando o primeiro parágrafo:

1. Introdução:

1.a. Abordagem ampla do tema com uma contextualização histórica ou geográfica; citação filosófica ou literária.

1.b. Especificação do tema, isto é, trazer de uma abordagem ampla para o tema específico.

1.c. A tese. Uma frase ou período que revele seu posicionamento diante do tema oferecido.

Exemplo:

        De acordo com Aristóteles, deve-se tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais na medida de sua desigualdade. Esse pensamento considera que já que as diferenças existem, elas devem ser tratadas como tais, com a finalidade de integrar a sociedade. Diante disso, surge a problemática da formação educacional de surdos no Brasil, que persiste intrinsecamente ligada à realidade do país, seja pela permanência da discriminação como intenso fato social, seja pela ausência de uma cultura totalmente inclusiva.

TEMA: As formas de se alcançar a satisfação pessoal e a felicidade.

“Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo”. (Friedrich Nietzsche)

“Felicidade é a certeza de que a nossa vida não está se passando inutilmente”. (Érico Veríssimo)

“A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita”. (Mahatma Gandhi)

“Aquele que nunca viu a tristeza, nunca reconhecerá a alegria”. (Khalil Gibran)

“Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos”.(William Shakespeare)

“O segredo é não correr atrás das borboletas. É cuidar do jardim para que elas venham até você”. (Mario Quintana)

“Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz”. (Madre Teresa de Calcutá)

“A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos”. (Arthur Schopenhauer)

Sugestão para um ROTEIRO:

1. Não ser infeliz não significa ser feliz? Ausência de dor ou sofrimento não é felicidade? A alegria é um sentimento efêmero e a felicidade é uma sensação profunda? O humano precisa se perceber superando seus próprios limites para se sentir feliz?

2. As alegrias e contentamentos são ocorrências do mundo sensível, do mundo exterior? Por isso são frágeis e efêmeras; podem aparecer e desaparecer facilmente? Nós nos sentimos inseguros diante dos bens que nos trazem alegrias?

3. Só as ocorrências do mundo inteligível, do mundo interior, podem causar felicidade? A superação de limites fisiológicos e os desenvolvimentos intelectuais nos multiplicam possibilidades e nos aproximam dos nossos ideais?

4. Os desenvolvimentos físicos e intelectuais nos proporcionam segurança e são definitivos? Ninguém pode nos privar dos bens que nos trazem felicidade? Ninguém desaprende uma habilidade ou capacidade?

5. Ambições intelectuais são necessárias ou apenas vaidades? O mundo complexo e competitivo fez do desenvolvimento intelectual algo necessário e urgente?

TÍTULO: A escola e a vida: o que é importante aprender.

Sugestão para o ROTEIRO:

1. Uma pequena história da escola.

2. Diferencie o conhecimento cultural do conhecimento escolar.

3. Todos estão interessados pelo conhecimento escolar? O conhecimento cultural é o bastante para a sobrevivência e evolução do cidadão?

4. A vida pode ensinar tanto quanto a escola e, às vezes, até mais porque é menos técnica e mais humana?

5. O que é importante aprender? Tomar posse da própria vida e levá-la para onde o juízo aponta?

3

Argumentação:

Os argumentos podem ser elaborados a partir de vários enfoques:

1. Defesa da qualidade de vida coletiva.

2. Encaminhamento dos ideais de paz, justiça, igualdade, fraternidade, honestidade.

3. Desenvolvimento e fortalecimento da empatia na coexistência social.

4. Crítica a causas comprometidas.

5. Evidenciação de possíveis consequências desastrosas.

6. Observação de caracterização incoerente nos argumentos contrários.

Os dados estatísticos, exemplos, citações e referências históricas são recursos eficientes e oportunos da argumentação.

     Reflita sobre a diversidade da escrita contemporânea e manifeste seu ponto de vista, desenvolvendo-o num texto dissertativo, em prosa, no qual você deve expor seus argumentos de modo claro, coeso e objetivo.

Sugestão para o projeto de texto:

1. É interessante começar o texto com uma citação sobre a riqueza da diversidade cultural do mundo moderno. O repertório contemporâneo oferece inúmeras possibilidades de produção textual?

2. Uma escrita desautoriza a outra? A escrita colaborativa significa o fim do estilo individual?

3. As formas como os leitores apreendem informações também são várias e justificam a multiplicação das maneiras de escrever?

4. O coloquialismo predominante nas redes sociais implica uma decadência da arte de escrever ou uma inclusão de novos autores e modos?

5. O preconceito contra novas formas de expressão pode desperdiçar ideias interessantes e até desestimular propostas que poderiam enriquecer o repertório de linguagens modernas e eficazes?

2

    Levando em consideração que a família moderna sofreu alterações significativas em sua composição e organização, discuta, em texto dissertativo argumentativo em prosa, a construção da família nos dias atuais e sua importância na formação do homem moderno.

Exemplo de ROTEIRO:

1. Sobre as mais diversas configurações da família moderna. O que sobrou da família tradicional? Compromisso e responsabilidade? Corresponsabilidade?

2. A respeito das liberdades individuais; da pouca autoridade dos pais e do excesso de liberdade dos filhos.

3. A maioria da população está preparada para educar seus filhos sem se impor pelo medo?

4. O que se exigiu dos pais nas últimas décadas está mais próximo do ideal que da realidade?

5. A educação dos filhos se transferiu para a escola e, consequentemente, baixou os índices de aprendizado?

6. A escola deveria assumir a autoridade que os pais perderam?

1

Escreva um texto dissertativo que tenha como título:

Funções da Música

    A música exprime a mais alta filosofia numa linguagem que a razão não compreende. (Arthur Schopenhauer)

    A música é celeste, de natureza divina e de tal beleza que encanta a alma e a eleva acima da sua condição. (Aristóteles)

    A música pode mudar o mundo porque pode mudar as pessoas. (Bono Vox)

    O homem que não tem a música dentro de si e que não se emociona com um concerto de doces acordes é capaz de traições, de conjuras e de rapinas. (William Shakespeare)

    Antes de tudo, a música. (Paul Verlaine)

    A música é o verbo do futuro. (Victor Hugo)

   Como é que um homem sem as virtudes que lhe são próprias pode cultivar a música ? (Confúcio)


Sugestão para o ROTEIRO:

  1. Dê uma ideia de quanto as pessoas ouvem músicas.

    Apresente alguns dados estatísticos de quantas músicas uma pessoa ouve por dia ou quantas músicas são publicadas por ano em todo o mundo.

    2. Defenda algumas razões da popularidade da música.

    Provoca sentimentos? Reconstrói circunstâncias agradáveis na memória? Celebra fatos históricos? Defende ideias? Une pessoas e povos?

    A música pode ser usada como elemento de comunicação, de informação? Por exemplo, os caminhões vendedores de gás?

    3. Entretenimentos dados por muitos como inúteis ou fúteis podem ser valiosos no desenvolvimento cerebral do indivíduo e da humanidade?

    A música colabora na configuração do cérebro? Embala desenvolvimentos psicomotores? Aperfeiçoa noções estéticas? Identifica ideologias?

    No filme Amadeus, de Milos Forman, Salieri atira um crucifixo ao fogo da lareira, maldizendo Deus por ter dado a Mozart, um promíscuo, e negado a ele, Salieri, talentos invejáveis.

    Salieri não podia compor músicas como Mozart porque seu cérebro possuía outra configuração?

    4. Toda música é importante pela simples razão de que existe alguém para ouvi-la?

    Por que os jovens estão ouvindo tanta música? Para ajudar a organizar o imenso volume de informações que recebem diariamente?

    5. A busca desenfreada por prazeres nos afasta da ideia de que o prazer é antes a satisfação de uma necessidade?

Gabaritos de REDAÇÃO:

Módulo 1 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1D - 2B - 3A.

Módulo 2 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1) - V - V - V - V. 2) - V - V - V. 3) V - V - V - F.

Módulos 3 e 4 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 - A linguagem REFERENCIAL é precisa nos seus significados, é denotativa, enquanto a EMOTIVA, ao contrário, é inspirada na individualidade daquele que fala ou escreve, de acordo com a emocionalidade do momento. 2 - Dissertar é defender ideias, posições, e isso precisa ser feito de forma clara e objetiva. 3 - B. 4 - A. 5 - D.

Módulo 5 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1. a) A frase que sintetiza o texto é "O Supremo Tribunal Federal varreu da legislação brasileira mais uma herança da ditadura militar: a obrigatoriedade do diploma de jornalista para quem exerce a profissão". 1. b) O autor deixa clara a sua posição favorável à aplicação da lei imposta pelo Supremo Tribunal Federal ao usar termos depreciativos quanto à obrigatoriedade do diploma, tais como "varreu da legislação mais uma herança da ditadura militar" e "ao defender o fim dessa excrescência". Além disso, o autor expressa sua opinião ao afirmar que a imposição do diploma nessa área feria o direito constitucional, já que impedia as pessoas de manifestar seu conhecimento livremente por meio da atividade jornalística. 2 - C. 3 - D. 4. a) No trecho extraído da Folha de S. Paulo, a palavra "dizer" sugere que, com a reforma ortográfica, a palavra "jibóia" teve sua pronúncia modificada: a vogal "ó" seria pronunciada "ô". Essa afirmação é equivocada, pois regras ortográficas não têm poder para alterar a pronúncia, o que se pode notar na palavra "tranquilo", apresentada no quadro comparativo, a qual perdeu o trema, que era raramente usado, mas manteve a pronúncia. 4. b) No trecho "Eu sempre soube que a maior barreira para o meu sucesso em Bafatá era o C mudo..." ocorre a ironia, que consiste em apresentar uma alteração bastante superficial para a língua como grande empecilho para o sucesso do jornalista. 5. a) Pode-se entender que: "Há várias medidas que o governo deve tomar"; "Não há medidas que o governo possa tomar"; mas também há outras possibilidades de construção. 5. b) Na afirmação do enunciado, a palavra "só" significa "única" e desempenha função adjetiva; já no trecho apresentado no item b, a mesma palavra ocorre com sentido de "somente, apenas" e exerce função adverbial.

Módulos 6 e 7 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 (resposta livre); 2 (resposta livre); 3 - C; 4 - E.

Módulo 8 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 (resposta livre); 2 - D; 3 - B.

Módulo 9 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 (criação do aluno); 2 (criação do aluno); 3 (criação do aluno).

Módulo 10 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 (criação do aluno); 2 - O último parágrafo (conclusão) resgata a ideia veiculada no primeiro (introdução), pela qual se afirma que os professores deveriam ter sido consultados quanto às diretrizes da educação formal, no Brasil.; 3 - É conveniente a manutenção do plano proposto há um tempo, bem como o reconhecimento da inutilidade de inclusão das questões em destaque entre aquelas que se propõem ao estabelecimento de novos critérios de avaliação.

Módulo 11 e 12 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 (criação do aluno); 2-C; 3-B.

Módulo 13 e 14 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1 - Após a instabilidade emocional provocada pelo triângulo amoroso descrito no desenho, a última fase mostra a personagem solitária, diante de um mar ou lago calmo, tranquilo, onde pode ocorrer uma nova emoção amorosa. 2.a - Ambos os textos tratam de mudanças, conforme exemplificam os fragmentos: "Todo o mundo é composto de mudança" (no poema de Luís de Camões) e "as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando" (no texto de Guimarães Rosa). 2.b - No texto de Guimarães Rosa, o bem e o mal aparecem personificados nas figuras de Deus e do diabo, mas estão relativizados nas expressões "Deus é traiçoeiro" e "[Deus] me dá o medo pavor!". 3.a - "Não seja enganado na hora da compra" e "Não compre um produto pensando que é outro". 3.b - Toda palha de aço é chamada de Bom Bril, mesmo sendo de outra marca. Dessa forma, a expressão "Só Bom Bril é Bom Bril" enfatiza a necessidade de o consumidor não ser iludido no momento da compra.

Módulo 15 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1.a - D (outras possibilidades: embora, no entanto, contudo, porém; 1.b - A (outras possibilidades: porque, pois, já que, afinal); 1.c - D (outras possibilidades: então, por isso, à vista disso, nesse caso); 1.d - C (outras possibilidades: mas, porém); 1.e - E (outras possibilidades: desta forma arrumou, assim arrumou); 2-A.

Módulo 16 - Exercícios de aplicação - gabarito: 1.a. - O camembert é um dos queijos mais consumidos do mundo, no entanto ele só se tornou popular durante a Primeira Guerra Mundial, quando conquistou os soldados nas trincheiras; 1.b - Amizade verdadeira é algo difícil de se encontrar hoje, tanto que nem todos a possuem; 1.c - Os políticos comportam-se de maneira omissa diante dos problemas sociais, como se os mesmos não lhes dissessem respeito; 1.d - O trânsito nas grandes cidades é muito problemático, tanto que já se pensa em tornar obrigatório o rodízio de carros, como já acontece em São paulo; 1.e - Uma boa parte das crianças mora muito longe e vai à escola com fome, por isso ocorre maior número de desistências; 2.a - Uso inadequado do nexo: O desprezo PELO computador; 2.b - O uso inadequado do nexo:  em sociedades modernas NAS QUAIS subsistem setores marginais; 2.c - Uso inadequado do nexo: É uma pessoa de carne e osso, porém sem ação e reflexão; 2.d - Falta de sequência lógica: O grau de salinidade da água é tal que não se pode mais utilizá-la nas plantações nem em outro contexto qualquer; 2.e - Redundância: Este exercícios está muito bem desenvolvido, por isso vou usá-lo como exemplo.