sexológica

fricção

         Em seguida à penetração, iniciam-se os movimentos de fricção do pênis com a vagina. O vai e vem do pênis e as contrações vaginais têm a missão de elevar a temperatura do sangue acumulado nas regiões pudendas. Livre das preocupações estratégicas e das ferramentas usadas na conquista do parceiro ou parceira, o corpo não tem o que fazer senão concentrar todas as suas forças ao orgasmo.
         Àqueles que sofrem de ejaculação precoce, porém, a fricção é desnecessária ou quase. O rapaz mal coloca o falo na vagina e pronto, acabou.
         - Já?
         - Desculpa!
         - Não foi nada.
         Há também aqueles que custam a ejacular. A parceira já está no décimo orgasmo e o rapaz não para. Quando termina, está um bagaço, destruído. Ela olha para o parceiro e a primeira ideia que lhe aparece é a de que já não é mais tão desejada. Se, na ejaculação precoce, o problema maior fica com o rapaz; na ejaculação retardada, em compensação, a mulher tem mais dificuldades para aceitar e se ajustar aos ritmos do parceiro.
         Quando o orgasmo retardado é masculino, o problema é apenas psicológico, porque os espermatozoides encontram no fundo da vagina uma fartura de líquidos orgásticos para a seleção dos gametas maduros e a decomposição dos menos votados. Quando, no entanto, o orgasmo retardado é feminino, a questão é também orgânica, pois, se o rapaz goza antes, os espermatozoides não encontram, no saco vaginal, os líquidos seminais para a produção do gás cromossômico.
         Já o orgasmo precoce feminino não é um problema, é uma providência, pois goze quando gozar o parceiro, seus gametas não estarão sozinhos no saco vaginal.
         O que é mais importante na fricção?
         O mais importante atributo anatômico desenvolvido para a eficiência da fricção é a bunda. Ela não serve só para sentar ou amortecer as pancadas. A sua tarefa principal é multiplicar e armazenar o calor gerado pela fricção, a fim de elevar e manter a temperatura da linha de produção dos líquidos seminais.  
      
         O tamanho do bumbum tem alguma influência na produção de calor?
         As nádegas menores ou magras podem conter menos calor, em compensação, são capazes de trabalhar com mais facilidade, aquecem-se mais rapidamente e dependem de menos movimentos. Enquanto as bundas maiores ou gordas exigem muito mais esforços para o seu aquecimento, em contrapartida, conseguem multiplicar e armazenar uma quantidade de calor invejável.
         A importância do tamanho das nádegas, portanto, é relativa, depende dos parceiros. Por exemplo: os meninos que sofrem de ejaculação precoce podem ser mais felizes com as bundas gordas ou maiores, porque as mais volumosas iniciam o coito, em tese, com menos calor e se demoram mais para pôr todas as suas propriedades em atividade.
         As nádegas magras ou menores, por sua vez, podem ser mais interessantes aos homens que sofrem de ejaculação retardada, pois as menos volumosas, em regra, iniciam a fricção já bem aquecidas, bem próximas de sua temperatura máxima. Considerando que o orgasmo depende do montante de calor produzido pelos parceiros, montante que é colocado em comum através das genitálias, as bundas magras têm mais condições de acelerar a ejaculação.
         A natureza, todavia, é sempre surpreendente. Um azarado pode ganhar uma impotência sexual grave simplesmente porque tem a bunda pequena, ejaculação retardada e se casou com uma mulher dona de nádegas tão mínimas que contribuem com muito pouco para o aquecimento da linha de condicionamento dos espermatozoides do marido. Detalhe: o moço nunca conheceu intimamente outra mulher e não admite a própria infidelidade.
        
         Na masturbação, por que a fricção manual é capaz de nos levar ao orgasmo?
         Porque a imaginação, apesar de ser uma combinação virtual de informações, lida com os dados e as sensações reais da memória. A recombinação desses dados e sentimentos nos oferece novas sensações ou a reedição de sensações já experimentadas e, por isso, o hipotálamo também emite novas ordens ou reedita instruções anteriores à hipófise que, por sua vez, libera seus hormônios e prepara o corpo para o orgasmo.
        
         Tem mais facilidade para se masturbar quem tem bunda maior ou menor?
         Masturba-se com mais facilidade quem sente menos culpa, tem mais imaginação e uma bunda proporcional à sua capacidade física de aquecimento interno. Existem bundas tão minúsculas a tanto de serem incapazes de proporcionar um orgasmo sozinhas e nádegas tão volumosas que chegam a ser natural e isoladamente inaquecíveis.
        
         Qual é a participação do prepúcio na fricção?
         O prepúcio, a pele que encobre o pênis em relaxamento, além de proteger os terminais do corpo esponjoso, diminui o atrito do pênis com a vagina durante o coito.
         Os primeiros movimentos de fricção, logo após a penetração, revelam uma anacronia entre a distratilidade do pênis e a contratilidade da vagina. Nesse momento, o prepúcio é muito importante para diminuir ou evitar microferimentos eventuais. Depois de alguns vaivéns, os movimentos tendem a ser sincrônicos e a dispensar circunstancialmente os serviços do redutor natural de atritos.