sexológica

orgasmo feminino

        Os líquidos orgásticos da mulher têm duas obrigações a cumprir: decompor os gametas masculinos a fim de produzir o gás cromossômico e impedir a passagem pelo útero de espermatozoides imaturos ou maduros demais em direção ao óvulo. Essas duas missões conferem uma importância fundamental ao orgasmo feminino. Elas precisam gozar para que os parceiros não desperdicem seus líquidos seminais e seja assegurado o sucesso da fecundação.
         Um pênis maior compensa a falta de aquecimento adequado?
         A fricção causada pelo entra e sai do pênis na vagina é o recurso que utilizamos para aumentar e colocar em comum o calor da região pudenda. Quando a penetração peniana acontece com os corpos já bastante quentes, a fricção não precisa ser muita para provocar as ejaculações. Todavia, nas ocasiões em que a introdução do pênis ocorre com os corpos em baixa temperatura e os volumes das regiões pudendas são maiores que o médio, as fricções precisam ser muitas e rápidas.
         Um pênis maior que o médio é capaz de produzir e reter mais calor, por isso, as mulheres que não se apresentam à cópula com uma boa temperatura preferem um falo maior para compensar a falta de um aquecimento adequado.
        
         As mulheres que não conseguem gozar são literalmente frias?
         Elas não são totalmente frias, mas o montante de calor que conseguem produzir e reter na região pudenda é insuficiente para o orgasmo. A propósito, essas mulheres são as que mais sofrem as consequências da ignorância da humanidade a respeito da sexualidade.
         Em toda a história da civilização, o prazer sexual feminino foi um pecado ocidental ou uma desonra oriental. As mulheres puderam receber, em silêncio, o sêmen de seu marido ou senhor e orar para que a criança fosse um varão. Essa cultura machista fez com que muitas meninas perdessem completamente o seu interesse pela relação sexual. Tiveram suas filhas e transmitiram a elas, genética e culturalmente, o seu desinteresse, provocando disfunções psicológicas e, consequentemente, físicas. O resultado final dessas disfunções é a frigidez.
 
         Por que algumas mulheres gostam de apanhar durante o coito?
         Algumas mulheres até pedem aos parceiros para serem espancadas, porque não estão conseguindo o aquecimento suficiente para o orgasmo. É um sinal de que a fricção chegou ao limite, o calor alcançou um determinado índice e parou de crescer. Então, a parceira sente a necessidade de outro recurso para aumentar a temperatura da região pudenda e chegar ao orgasmo. Em vez de bater, o parceiro, para ajudar, pode ser mais incisivo, mais rápido e constante com o vai e vem do pênis dentro da vagina.
 
         Por que as mulheres dependem da afetividade, mais que os homens, para um bom orgasmo?
         As mulheres dos últimos milênios foram proibidas de sentir o prazer da cópula. Foram privadas das sensações responsáveis pelo processo de sedimentação da própria individualidade. Não puderam viver a própria vida e, como os homens queriam, viveram a dos maridos e dos filhos. Seu prazer sexual, então, reduziu-se à satisfação de ser útil, proporcionando o orgasmo masculino e a paternidade. Logicamente, a relação sexual se tornou, para a mulher, uma parte – apenas – da relação matrimonial e da constituição familiar.
 
         As mulheres dos milênios passados não faziam sexo com qualquer homem?
         Elas precisavam de algumas garantias pessoais (a afetividade) e sociais (o casamento) de que, pelo menos, seriam úteis. A cópula, fora do matrimônio ou da perspectiva de um filho não lhes tinha o menor sentido. Os homens faziam e ainda fazem sexo sem qualquer afetividade com a parceira porque preservaram e garantem, no orgasmo, o fortalecimento de sua individualidade.
 
         Por que as mulheres querem conhecer os homens antes de transar?
         Numa relação sexual, a mulher é a dona da casa e o homem é o convidado, pois os eventos sexuais como a ejaculação e a fecundação acontecem fora dos homens e dentro das mulheres. Naturalmente, quem está mais preocupado com as características do outro é a mulher, afinal as consequências são responsabilidades femininas.
         É fácil aceitar o convite para uma festa. Difícil é oferecer a casa. Tem a organização do evento, a recepção dos convidados, o risco de haver desentendimentos, objetos quebrados ou roubados, reclamação dos vizinhos, além da exposição a que se sujeita. Por isso, não costumamos trazer pessoas as quais não conhecemos para dentro de nossas casas.
         Uma mulher, quando conhece bem o seu parceiro, estabelece alguns compromissos morais ou se propõe a estabelecê-los. De um jeito ou de outro, cria-se algum interesse comum ou bem querer capaz de liberá-la para o orgasmo. Na contramão, uma mulher que não conhece bem o seu parceiro ou é completamente irresponsável ou participa da transa como a anfitriã que não pode desfrutar a própria festa, porque não confia nos convidados e está preocupada com as consequências.
 
         Por que as mulheres não gostam quando os homens tiram o pênis da vagina logo depois da ejaculação?
         O orgasmo feminino é a percepção física da expulsão dos líquidos orgásticos. A mulher goza quando percebe a saída dos seus líquidos vaginais. Os vasos sanguíneos que compõem as paredes da vagina são dilatados com a excitação da mulher. Logicamente, pois a excitação é o resultado da fermentação dos estrogênios, os hormônios sexuais femininos.
         Quando os vasos dilatam, abrem-se os poros por onde saem os líquidos orgásticos ou, se quiser, os estrogênios fermentados. Quanto mais aumenta a quantidade de líquidos orgásticos saindo dos vasos vaginais, mais cresce o prazer da mulher.
         Isto quer dizer que a excitação da mulher já é um pequeno orgasmo. Com o calor da cópula, aumenta-se a fermentação e a saída dos líquidos orgásticos e, consequentemente, o prazer sexual da mulher. Na ejaculação do homem, o pênis colabora o mais que pode com o aumento da temperatura no interior da vagina, por isto, quando o parceiro chega ao orgasmo, há grandes chances de a mulher conseguir o clímax do seu prazer.
         Há grandes chances, porque muitas mulheres, as mais saudáveis psicológica e sexualmente, alcançam o seu clímax com a ejaculação masculina. O pênis colabora o mais que pode com o aumento da temperatura no fundo da vagina, os líquidos orgásticos masculinos fazem a sua parte provocando ainda mais as paredes vaginais e, numa circunstância como esta, as mulheres que ainda têm lenha para queimar quando o parceiro ejacula, é neste momento que sentem o melhor de todos os prazeres físicos.
         Se o homem tira o pênis logo após a ejaculação, ele dá início a uma queda brusca de temperatura no interior da vagina. Resultado: diminui a expulsão dos líquidos orgásticos femininos e o prazer da mulher.