O professor salva vidas, antes da dor.

 

mãos

temos dadas as mãos
quaisquer mãos
no silêncio das mãos
só os movimentos frequentes do coração nas mãos
não, não soltem as mãos
liberdade e justiça ainda são os nossos ideais
os bárbaros não são todos os homens
nosso amor ainda é maior que o ódio
observem as mãos
a coragem das mãos
elas vão à frente
abrem as portas
removem a lama
sofrem os primeiros estragos
fecham as janelas
puxam os lençóis
mãos servas
prudentes
elas chegam antes
tocam nos vazios das ilusões
reconhecem nossas conquistas
transformam o corpo no mais intenso prazer