Depressão na adolescência: solidão e falta de rumo

       A depressão já é o maior problema de saúde entre os adolescentes em todo o mundo, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde). Alguns fatores participam da formação desse quadro, principalmente solidão e ausência de ideologia.
       A solidão já é um fator visivelmente comum, pois convivemos com uma multidão de filhos únicos de pais que trabalham fora de casa. Nesse grupo estão incluídos os filhos de pais solteiros ou descasados.
       Entre 1960 e 2010, o índice de fecundidade caiu de 6,2 para 1,9 filhos por mulher. Nos anos 1990, uma em cada dez mães tinha apenas um filho. Em 2010, esse índice despencou para uma em cada três.
       O distanciamento dos pais na adolescência não é um fenômeno novo, porém isso acontecia menos compulsoriamente. Milhões de adolescentes hoje são abandonados aos amigos ou apenas colegas, mesmo nas circunstâncias mais difíceis, quando são vítimas de bullying, por exemplo.
       Em poucos casos, a solidão leva o adolescente a “se virar” sozinho. Torna-se um indivíduo forte, competente, senhor de uma autoestima notável. Infelizmente, em poucos casos, porque em muitos, o adolescente não encontra forças suficientes para enfrentar as circunstâncias mais complicadas e naturalmente recua.
       Quando não conseguem conversar a respeito – porque os pais “nunca têm tempo” ou os problemas familiares inviabilizam o diálogo – tiram suas próprias conclusões com o que têm e o que têm é pouca experiência e conhecimento mínimo.
       O outro fator dos dois grandes causadores de depressão na adolescência – decorrente do primeiro e agravante – é a ausência de ideologia.

      Nas famílias em que os pais não oferecem um sentido para a vida da criança, o adolescente começa a tomar decisões sem saber para onde está indo. Sem ter uma ambição.
       Noutras épocas, havia um padrão social de comportamento para determinar o que era certo e o que era errado e ditar um destino para cada um de nós, mas esse padrão desmoronou a partir dos anos 1960, da Contracultura.
       Historicamente, os pais contavam com a força da Igreja, da Monarquia e da Burguesia para colocar os filhos “nos trilhos”. Havia uma moral coletiva, comum a todos os cidadãos, e policiada por todos. As revoluções estudantil e sexual e as liberdades individuais, no entanto, fragmentaram as sociedades modernas.
       A tribalização deixou muitos sem tribo. Adolescentes solitários e sem rumo. Porque dependiam de um grupo que lhes desse uma direção e uma moral. É como dividir uma sala de aula em equipes: alguns se incluem facilmente, até têm seus grupos pré-formados, enquanto outros precisam da ajuda do professor para se incluírem.
       As crianças precisam de adultos que lhes deem um sentido para a vida e uma moral que lhes garanta a conquista desse destino, para que não cheguem à adolescência perdidos. Adolescentes sozinhos e sem rumo recuam dramática e até tragicamente diante das exigências do mundo moderno.
       No decorrer da vida, no amadurecimento, os jovens que receberam uma ideologia e uma moral na infância fazem as alterações que julgam necessárias. Ótimo! Faz parte da construção da individualidade.

presépios

                                                                                         2015
                                                                                         2014
                                                                                         2012

CANTANO, CORRENO e DORMINO.
profecias

Amor, de Clarice Lispector
questões

parábola da contemporaneidade

não posso perder o trem
resolvi que esse é o meu fim
alcançar a velocidade do trem
quando passou por mim
não sabia que devia apanhá-lo
na época eu era até mais veloz
mas não podia ser tão rápido a vida inteira
então eu tinha de me preparar
conseguir velocidade aos poucos
mirar o trem e não parar nunca
tropeçar quebrar os joelhos e não desistir
estou correndo e esperançosamente
a cada passo estou mais perto e mais forte
sinto minha mão já bem próxima
de tocar a alça do último vagão
quando isso tudo terminar
e eu me vir cantando entre as poltronas
ainda vazias
vou compreender de vez
por que esse trem nunca para
resolvi que esse é o meu fim
alcançar a velocidade do tempo