A árvore empenada e o pássaro enfolhado

– Você é uma árvore que voa?
– Pequena.
– Não posso nem andar.
– Por que tem penas?
– Porque quase.
– Ficou no meio do caminho?
– No porto.
– Não passou de uma perspectiva.
– Uma anunciação.
– Não devia saber que poderia voar se.
– Porque eu sei, posso?
– Não saberia se não.
– Meus descendentes, um dia?
– Esforçamos pelo ideal para conseguir toda a realidade possível.
– E a realidade possível é tudo.