Eu


eu sou as coisas que vejo
que ouço
que invadem minhas narinas
sou os meus sentimentos
tatos e sabores que consigo alcançar
como um buraco negro
apanho toda luz que se dispõe a mim
sou uma placa de luz apreendendo luz
me organizo subconscientemente
o intelecto está na memória
minha sala de estudos
a oficina dos meus pensamentos
a memória está na consciência
a consciência quer se ajustar ao subconsciente
um nirvana pós-inteligente
quer ser infinita
isto não são metáforas
isto não é alegoria
isto é a vida
humana